Santuários Mineiros com o Pe. Olivaldo de Carvalho

Roteiro de Santuários Mineiros com o Pe. Olivaldo de Carvalho
Entrada de R$219 + 9x de R$219 (cartão ou cheque)

Á vista R$ 2.190,00 (à vista com 3% de desconto) 2ª Opção = Entrada de R$ 188,00 e 11 x parcelas de R$ 182,00 (somente no cartão)   Suplemento para apartamento individual: R$ 370,00 Crianças de 00 a 05 anos, em apto com 02 adultos, paga: R$ 30,00 Crianças de 06 a 11 anos, em apto com 02 adultos paga: R$ 2.060,00

O que Inclui

Traslados

Traslados: Bragança Paulista /Baependi / Congonhas / Ouro Preto/ Santuário do Caraça/Caeté/ Bragança Paulista;

Ônibus

Ônibus/micro/van - categoria turismo

Hotel

2 noites de hotel em Congonhas, café da manhã e jantar no hotel (meia pensão)

Hotel

2 noites de hotel no Santuário do Caraça, café da manhã, almoço e jantar

Guia

Guia local especializado

Seguro

Seguro Viagem

Passeio em Baependi

Visita ao Santuário de Nhá Chica; Almoço.

Passeio em Ouro Preto

Visita a cidade de Ouro Preto; Visita ao centro histórico, igrejas e museus da cidade.

Passeio em Congonhas

Visita ao Santuário do Bom Jesus do Matosinhos; Visita ao centro histórico e Capelas dos Passos da Paixão de Cristo.

Passeio

Santuário do Caraça: Visita e hospedagem no Santuário do Caraça

Passeio em Caeté

Visita ao Santuário Nossa Senhora da Piedade; Almoço.

Kit de viagem

O que não Inclui

Serviço de bordo no ônibus durante todos os trajetos previstos no roteiro; Café da manhã a caminho de Baependi (manhã do 1º dia). O café da manhã (não incluído) será numa parada técnica (restaurante na estrada) a caminho de Baependi. Almoços nas cidades de Ouro Preto e Congonhas; Bebidas nas refeições; Telefonemas, lavanderia, consumo de frigobar (quando este serviço estiver disponível); Tudo que não estiver especificado no item "Incluído”.

Roteiro Dia a Dia

1º Dia 12 OUT (SEG)

BRAGANÇA PAULISTA / BAEPENDI / CONGONHAS

05h00 – Saída de Bragança Paulista (260 km – 4 horas)

09h00 – Chegada no Santuário Nhá Chica e celebração da Eucaristia presidida pelo Rev. Pe. Olivaldo Carvalho

12h00 – Almoço (INCLUÍDO)

13h00 – Visita guiada pelo Santuário da Beata Nhá Chica;

14h00 – Saída para Congonhas (272 Km – 4h30 minutos)

20h00 – Chegada e jantar no hotel;

Filha e neta de escravos, Francisca de Paula de Jesus nasceu em 1810, no povoado de Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno, um dos atuais cinco distritos de São João Del-Rei, município de Minas Gerais, onde também foi batizada no dia 26 de abril de 1810. Pouco tempo depois, sua família mudou-se para a cidade de Baependi, no sul deste estado, onde ela viveu até 14 de junho de 1895, data de sua morte. Francisca foi sepultada dia 18 de junho no interior da capela dedicada à Nossa Senhora da Conceição, mandada construir por ela.

Francisca ficou órfã aos dez anos. Mulher humilde, era fervorosa devota de Nossa Senhora da Conceição, e, a pedido da mãe, passou a vida inteira a dedicar-se à prática de caridade. Leiga, foi chamada ainda em vida de “a mãe dos pobres”, sendo respeitada por todos os que a procuravam, desde os mais humildes aos homens do Império. Durante 30 anos, reuniu doações para construir a capela de Nossa Senhora da Conceição, onde hoje funciona o Santuário da Conceição, na cidade mineira de Baependi. Francisca de Paula de Jesus era conhecida por Nhá Chica, sendo que “nhá” é corruptela de “sinhá”, por sua vez corruptela de senhora, forma respeitosa de se tratar aos mais velhos.

2º Dia 13 OUT (TER)

CONGONHAS / OURO PRETO/ CONGONHAS

06h00 – Café da manhã

07h00 – Saída para cidade de Ouro Preto (57 Km – 1 hora e 30 minutos)

09h00 – Inicio do tour pela cidade histórica de Ouro Preto

Celebração da Eucaristia presidida pelo Rev. Pe. Olivaldo Carvalho

13h00 – Almoço (NÃO INCLUÍDO)

17h00 – Retorno ao hotel;

19h00 – jantar no hotel;

Ouro Preto localiza-se em uma das principais áreas do ciclo do ouro. Oficialmente, foram enviadas a Portugal 800 toneladas de ouro no século XVIII, isso sem contar o que circulou de maneira ilegal, nem o que permaneceu na colônia, como por exemplo o ouro empregado na ornamentação das igrejas. O município chegou a ser a cidade mais populosa da América Latina, contando com cerca de 40 mil pessoas em 1730 e, décadas após, 80 mil, mas é bom lembrar que a área de Villa Rica/Ouro Preto era muito maior englobando as atuais Congonhas, Ouro Branco e Itabirito. Àquela época, a população de Nova York era de menos da metade desse número de habitantes e a população de São Paulo não ultrapassava 8 mil. A Cidade Histórica foi o primeiro sítio brasileiro considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO, título que recebeu em 1980. Foi considerada patrimônio estadual em 1933 e monumento nacional em 1938.

3º Dia 14 OUT (QUA)

CONGONHAS/ SERRA DO CARAÇA

07h00 – Café da manhã e check-out

08h00 – City tour pela cidade histórica de Congonhas com visitas as igrejas barrocas e museus;

Visita ao Santuário do Bom Jesus do Matosinhos com os 12 Profetas de Aleijadinho;

Visita as Capelas dos Passos da Paixão de Cristo (Via Sacra);

13h00 – Almoço na cidade (NÃO INCLUÍDO)

15h00 –Saída para o Santuário do Caraça (100 Km – 2 horas)

19h00 – Jantar no hotel;

Visita do Lobo Guará num momento de partilha e vivência em comunidade o Santuário nos oferece pipocas e uma boa prosa mineira

19h00 – Jantar no hotel;

4º Dia 15 OUT (QUI)

SERRA DO CARAÇA

07h30 – Café da manhã;

10h00 – Visita guiada pelo Santuário do Caraça;

13h00’ – Almoço (INCLUÍDO)

14h00 – Tarde livre para descanso e aproveitamento;

18h00 – Celebração da Eucaristia presidida pelo Rev. Pe. Olivaldo Carvalho;

19h00 – Jantar no hotel;

Primórdio do Caraça

A PRÉ-HISTÓRIA DO SANTUÁRIO DO CARAÇA

A primeira notícia que se tem do Caraça data de 1708, quando aparece em um mapa da Província de Minas. Em 1716, num registro histórico, aparece o Arraial do Inficionado do Caraça. Vestígios na região do Tanque Grande e dos Pinheiros apontam para a existência de antigos garimpos, provavelmente do século XVIII. Caraça seria o formato de um rosto humano na Serra do Espinhaço: é explicação corrente no tempo do Colégio e comentada por Dom Pedro II, em seu diário (11-13 de abril de 1881). O que pesa contra esta explicação é o fato do Caraça ter sido sempre citado no masculino e nunca no feminino (Serra da Caraça), como deveria ser já que caraça, compreendido como cara grande é palavra feminina. Caraça seria o grande desfiladeiro existente na Serra do Espinhaço nesta região: explicação dada por Auguste de Saint-Hilaire (1816) e acolhida por José Ferreira Carrato, em sua tese de doutorado sobre o Caraça (As Minas Gerais e os Primórdios do Caraça), publicada em 1963. Caraça, em tupi-guarani, significa desfiladeiro ou bocaina, como hoje é chamado o portentoso vale entre os Picos do Sol e do Inficionado.

5º Dia 16 OUT (SEX)

SERRA DO CARAÇA / CAETÉ / BRAGANÇA PAULISTA

07h00 – Café da manhã

07h30 – Check-out no hotel e saída para cidade de Caeté (77 Km – 2h30);

09h00 – Chegada e Missa (sujeito a disponibilidade);

12h00 – Almoço (INCLUÍDO);

13h00 – Saída para cidade de Bragança Paulista (555 Km – 7 horas e 30 minutos)

22h00 – Horário previsto de chegada em Bragança Paulista

Fim dos nossos serviços

Hotéis Previstos

Hoteis categoria 3* superior nas cidades de: Congonhas e Caraça